NOTÍCIAS DA DIOCESE

54ª Assembleia Geral da CNBB abordará missão dos leigos na Igreja e na sociedade

“A Assembleia é momento muito precioso para nossa Conferência Episcopal e para as igrejas particulares. Trata-se de um espaço de oração, partilha, estudos e convivência fraterna. Durante esses dias, fortalecemos a comunhão entre nós bispos”, explica o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner.

A 54ª Assembleia Geral (AG) da CNBB acontecerá no período de 6 a 15 de abril, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP). Este ano, o tema central será “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade – Sal da Terra e Luz no Mundo”.

Entre os temas prioritários previstos estão a “Liturgia na Vida da Igreja”, a 14ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, a conjuntura político-social, a mensagem “Pensando o Brasil: crises e superações” e as mudanças do quadro religioso no país.

Programação

Este é o maior encontro do episcopado brasileiro. São esperados cerca de 320 bispos ativos e eméritos, dos dezoito regionais da CNBB. Diariamente, os trabalhos da Assembleia Geral iniciam com celebração da missa com laudes, das 7h30 às 8h45, no Santuário Nacional de Aparecida, com transmissão ao vivo pelas emissoras católicas de rádio e televisão.

CNBB divulga nota sobre o momento atual do Brasil

A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nesta quinta-feira, 10, durante coletiva de imprensa, nota sobre o momento atual do Brasil aprovada pelo Conselho Permanente, reunido de 8 a 10 deste mês, na sede da Conferência, em Brasília.

Na nota, a CNBB manifestou preocupações diante do momento atual vivido pelo país. "Vivemos uma profunda crise política, econômica e institucional que tem como pano de fundo a ausência de referenciais éticos e morais, pilares para a vida e organização de toda a sociedade".

Ainda no texto, a Conferência recordou a necessidade de buscar, sempre, o exercício do diálogo e do respeito. "Conclamamos a todos que zelem pela paz em suas atividades e em seus pronunciamentos. Cada pessoa é convocada a buscar soluções para as dificuldades que enfrentamos. Somos chamados ao diálogo para construir um país justo e fraterno", declara em nota.

Confira a íntegra do texto:

NOTA DA CNBB SOBRE O MOMENTO ATUAL DO BRASIL

“O fruto da justiça é semeado na paz, para aqueles que promovem a paz” (Tg 3,18)

Nós, bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil–CNBB, reunidos em Brasília-DF, nos dias 8 a 10 de março de 2016, manifestamos preocupações diante do grave momento pelo qual passa o país e, por isso, queremos dizer uma palavra de discernimento. Como afirma o Papa Francisco, “ninguém pode exigir de nós que releguemos a religião a uma intimidade secreta das pessoas, sem qualquer influência na vida social e nacional, sem nos preocupar com a saúde das instituições da sociedade civil, sem nos pronunciar sobre os acontecimentos que interessam aos cidadãos” (EG, 183).

Vivemos uma profunda crise política, econômica e institucional que tem como pano de fundo a ausência de referenciais éticos e morais, pilares para a vida e organização de toda a sociedade. A busca de respostas pede discernimento, com serenidade e responsabilidade. Importante se faz reafirmar que qualquer solução que atenda à lógica do mercado e aos interesses partidários antes que às necessidades do povo, especialmente dos mais pobres, nega a ética e se desvia do caminho da justiça.

A superação da crise passa pela recusa sistemática de toda e qualquer corrupção, pelo incremento do desenvolvimento sustentável e pelo diálogo que resulte num compromisso entre os responsáveis pela administração dos poderes do Estado e a sociedade. É inadmissível alimentar a crise econômica com a atual crise política. O Congresso Nacional e os partidos políticos têm o dever ético de favorecer e fortificar a governabilidade.

As suspeitas de corrupção devem ser rigorosamente apuradas e julgadas pelas instâncias competentes. Isso garante a transparência e retoma o clima de credibilidade nacional. Reconhecemos a importância das investigações e seus desdobramentos. Também as instituições formadoras de opinião da sociedade têm papel importante na retomada do desenvolvimento, da justiça e da paz social.

O momento atual não é de acirrar ânimos. A situação exige o exercício do diálogo à exaustão. As manifestações populares são um direito democrático que deve ser assegurado a todos pelo Estado. Devem ser pacíficas, com o respeito às pessoas e instituições. É fundamental garantir o Estado democrático de direito.

Conclamamos a todos que zelem pela paz em suas atividades e em seus pronunciamentos. Cada pessoa é convocada a buscar soluções para as dificuldades que enfrentamos. Somos chamados ao diálogo para construir um país justo e fraterno.

Inspirem-nos, nesta hora, as palavras do Apóstolo Paulo: “trabalhai no vosso aperfeiçoamento, encorajai-vos, tende o mesmo sentir e pensar, vivei em paz, e o Deus do amor e da paz estará convosco” (2 Cor 13,11).

Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, continue intercedendo pela nossa nação!

Brasília, 10 de março de 2016.

 

Dom Sergio da Rocha                              Dom Murilo S. R. Krieger

             Arcebispo de Brasília-DF                     Arcebispo de S. Salvador da Bahia-BA

                                        Presidente da CNBB                                 Vice-Presidente da CNBB

 

Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília-DF

Secretário-Geral da CNBB

 

 

Clero da diocese participou do Retiro Espiritual

O clero da diocese de Afogados da Ingazeira esteve participando do retiro espiritual entre os dias 07 a 10 de março no Centro de Pastoral Stella Maris em Triunfo. O retiro acontece todos os anos durante o período da Quaresma. Durante os quatro dias aconteceram estudos e reflexões com o bispo emérito da diocese de Blumenau (SC), dom Angélico Sândalo Bernardino.

Paulista de Saltinho (SP), dom Angélico é o bispo emérito da diocese de Blumenau (SC). Sua ordenação aconteceu em 24 de junho de 2000. Participou das Conferências dos Bispos da América Latina e Caribe em Santo Domingo [1992], na República Dominicana, e Aparecida [2007]. Dom Angélico é também jornalista, com formação em Ribeirão Preto [1953 – 1955].

Tema da Campanha da Fraternidade foi apresentado durante sessão na Câmara de Vereadores de Afogados

Um dos integrantes do grupo Fé e Política dom Francisco da diocese de Afogados da Ingazeira, Jair Almeida, usou a tribuna popular durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Afogados na noite desta segunda (29 de fevereiro) para levar ao conhecimento dos parlamentares e do público presente o tema da Campanha da Fraternidade deste ano.

O objetivo principal da Campanha da Fraternidade deste ano é chamar atenção para a questão do saneamento básico no Brasil e sua importância para garantir desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida para todos. De acordo com o texto base da iniciativa, abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medidas necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas, incluindo a justiça ambiental como parte integrante da justiça social.

A participação de Jair durante a realização da sessão foi decidida durante o estudo sobre o tema que aconteceu na cidade de Triunfo, quando na oportunidade foi colocado que cada um que estava presente pudesse participar durante as sessões das Câmaras de suas cidades e abordasse o tema.

Ao apresentar detalhes do tema da CFE, Jair perguntou qual seria a contribuição da Casa com a Campanha da Fraternidade e o que cada vereador poderia se comprometer em realizar para ajudar. Todos os vereadores disseram estar disponíveis no que for necessário a contribuir com a CFE, inclusive de realizar mutirões em algumas localidades.

Durante reunião do clero, dom Egidio anuncia mudanças

Durante reunião do clero da diocese de Afogados da Ingazeira que teve início nesta terça (23) na cidade de Triunfo, foram anunciadas algumas mudanças.

O padre Mairton Marques que estava à frente da Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Santa Cruz da Baixa Verde irá se ausentar da diocese por 3 anos, período esse que ficará trabalhando com o ex-bispo de Afogados da Ingazeira e hoje arcebispo de Vitória da Conquista, dom Luís Pepeu. Em seu lugar assume o padre Marco Maciel que estava atuando na Paróquia do Rosário em Serra Talhada ao lado do Pe. Miguel Nunes. Padre Maciel assumirá no dia 3 de março.

O padre Clodoaldo Fernando que estava como vigário paroquial na Paróquia da Imaculada Conceição em Flores, vai  fazer o mestrado em filosofia.  Quem ocupará o lugar deixado por Padre Clodoaldo será o Padre Wellington Jacinto que estava na Paróquia de São José, em São José do Egito, atuando como vigário paroquial.

O padre Juacir Delmiro que estava como vigário da Paróquia do Senhor Bom Jesus dos Remédios vai assumir a vice-reitoria do Seminário Menor São Judas Tadeu em Afogados da Ingazeira.

Grupo Fé e Política da diocese debate tema da Campanha da Fraternidade 2016

A escola diocesana Fé e Política dom Francisco realizou no Sábado e Domingo (20 e 21 de fevereiro) na cidade de Triunfo no centro diocesano Stella Maris, o seu 2º módulo, estudando sobre a Campanha da Fraternidade 2016, "Casa comum nossa responsabilidade" e com a presença do bispo da diocese de Afogados da Ingazeira, dom Egídio Biso, como facilitador, refletimos e estudamos textos bíblicos do antigo testamento, sobre o Sonho de Deus, com direito a uma sessão de cinema indicada pelo bispo, assistimos ao filme: Batismo de Sangue, baseado em fatos reais da vida do frei Beto no período da ditadura militar.

A escola Fé e Política dom Francisco segue cada vez mais convicta de que os discípulos de Jesus Cristo não podem ser apolítico e que o poder não deve ser centralizado e sim partilhado.

Jair e Fatinha Almeida - Secretários da escola diocesana Fé e Política dom Francisco.

Diocese aprofunda tema sobre a Campanha da Fraternidade e pede abolição de materiais descartáveis

A diocese de Afogados da Ingazeira esteve realizando neste sábado (20) na cidade de Triunfo um encontro para debater e aprofundar sobre o tema da Campanha da Fraternidade deste ano. Representantes de toda a diocese, de várias pastorais e de grupos, estiveram participando do encontro que contou com a participação de 150 pessoas.

O objetivo principal da Campanha da Fraternidade deste ano é chamar atenção para a questão do saneamento básico no Brasil e sua importância para garantir desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida para todos. De acordo com o texto base da iniciativa, abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medidas necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas, incluindo a justiça ambiental como parte integrante da justiça social.

Durante o encontro que contou com a participação do bispo diocesano, dom Egidio Bisol, alguns encaminhamentos foram tirados, a exemplo de que cada um que esteve presente pudesse contribuir com a Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) abolindo o material descartável (pratos plásticos, copos, etc); realize coleta e descartes de pilhas e baterias; que participem das sessões nas Câmaras de Vereadores e que, quando possível, utilizar a tribuna para falar sobre o tema da CFE 2016.

Lançada Campanha da Fraternidade no Regional Nordeste 2

Aconteceu na diocese de Patos-PB a nível de Regional Nordeste 2 da CNBB, o lançamento da Campanha da Fraternidade deste ano. O evento teve início na sexta (12) com uma mesa redonda sobre o tema no auditório do Colégio Cristo Rei e contou com as presenças dos bispos do Regional e de vários padres das 21 dioceses que formam o Regional Nordeste 2. Um grande número de leigos também se fizeram presentes para acompanhar o lançamento da CFE 2016.

No sábado (13) ocorreu uma grande Concelebração Eucarística com os bispos do Regional, padres, autoridades e leigos, entre eles muitos catadores de materiais recicláveis no lixão da cidade de Patos.

O objetivo principal é chamar atenção para a questão do saneamento básico no Brasil e sua importância para garantir desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida para todos. De acordo com o texto base da iniciativa, abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medidas necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas, incluindo a justiça ambiental como parte integrante da justiça social.

Estiveram representando a diocese de Afogados da Ingazeira o bispo dom Egidio Bisol e o padre Josenildo Nunes.

RCC da diocese de Afogados promoveu mais um retiro de carnaval

A diocese de Afogados da Ingazeira esteve realizando mais um retiro de carnaval. Com início no sábado, 6 de fevereiro, e encerrado na terça-feira (9), os jovens presentes puderam participar de missas, pregações e Adoração.

De acordo com os responsáveis pela organização, o retiro deste ano bateu o recorde de participação de jovens, com mais de 500, vindos de diversas paróquias da diocese de Afogados da Ingazeira e do vizinho estado da Paraíba.

No sábado (6) aconteceu a missa de acolhida presidida pelo bispo dom Egidio Bisol e o encerramento do retiro ocorreu na terça com a missa presidida pelo padre Josenildo Nunes da Paróquia de Senhor Bom Jesus dos Remédios.

Dom Egidio abre a Quaresma na diocese de Afogados da Ingazeira

Durante Celebração nesta manhã de Quarta-Feira de Cinzas na Catedral do Senhor Bom Jesus dos Remédios em Afogados da Ingazeira o bispo diocesano, dom Egidio Bisol, deu início ao período da Quaresma na diocese com a distribuição das cinzas.

A Quarta-feira de Cinzas marca o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão ocidental. As cinzas que os cristãos católicos recebem neste dia é símbolo de reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a efemeridade da vida humana, sujeita à morte.

Dom Egidio disse que o tempo da Quaresma é muito bonito e é o caminho para a Páscoa, olhando para as nossas fraquezas e contemplando mais ainda o amor misericordioso do Senhor que quer renovar a nossa vida e toda a comunidade e, que, através de nós, transformar o mundo.

Na homilia, dom Egidio afirmou que o período da Quaresma é um momento para reflexão e para abrir o coração, mas que nem sempre estamos de coração aberto. “Nós sabemos que o nosso coração nem sempre está aberto e nem sempre está totalmente aberto ao amor de Deus. Ainda tem dobras, recantos do nosso coração onde Deus dificilmente tem a licença para entrar e que nenhum de nós pode dizer que tem um coração puro”, disse dom Egidio.

Ainda segundo dom Egidio, a liturgia durante a Quaresma tem dois sinais: um que começa nesta Quarta-Feira de Cinzas em que os cristãos recebem a cinza na cabeça e o outro daqui a 40 dias com a água nos pés, durante a missa do Lava-pés. Ele explicou o significado da colocação das cinzas na cabeça. “A finalidade de colocar as cinzas na cabeça é de reconhecer a própria fraqueza, é a necessidade de mudar, é em função de ajudar-nos a ficar ajoelhados diante dos irmãos lavando os pés. Não é em função de nós mesmos, mas do serviço”, concluiu.

CNBB divulga mensagem sobre o combate ao aedes aegypti

Texto foi divulgado pela Presidência da entidade durante entrevista coletiva à imprensa, nesta quinta-feira.

“Com um grande mutirão, que envolva todos os setores da sociedade, seremos capazes de vencer estas doenças que atingem, sem distinção, toda a população brasileira”, diz um trecho da mensagem aprovada pelo Conselho Episcopal Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e divulgada pela Presidência da entidade, nesta quinta-feira, dia 4, durante entrevista coletiva à imprensa. No texto, a Conferência conclama toda a Igreja no Brasil a continuar e intensificar a mobilização no combate ao mosquito aedes aegyti, transmissor da dengue, do vírus zika e do chicungunya.

A CNBB também afirma, dada a provável ligação com os casos de microcefalia, que o estado de alerta “não deve levar a pânico". Outra indicação é que tal situação “tampouco justifica defender o aborto para os casos de microcefalia como, lamentavelmente, propõem determinados grupos que se organizam para levar a questão ao Supremo Tribunal Federal num total desrespeito à vida”.

Leia o texto na integra.

MENSAGEM DA CNBB SOBRE O COMBATE AO AEDES AEGYPTI

 “Tu me restauraste a saúde e me deixaste viver” (Is 38,16b)

O Conselho Episcopal Pastoral (CONSEP), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, reunido em Brasília-DF, nos dias 3 e 4 de fevereiro de 2016, conclama toda a Igreja no Brasil a continuar e intensificar a mobilização no combate ao mosquito aedes aegyti, transmissor da dengue, do vírus zika e do chikungunya. Com um grande mutirão, que envolva todos os setores da sociedade, seremos capazes de vencer estas doenças que atingem, sem distinção, toda a população brasileira.

Merece atenção especial o vírus zika por sua provável ligação com a microcefalia, embora isso não tenha sido provado cientificamente. A gravidade da situação levou a Organização Mundial da Saúde a declarar a microcefalia e o vírus zika emergência internacional. O estado de alerta, contudo, não deve nos levar ao pânico, como se estivéssemos diante de uma situação invencível, apesar de sua extrema gravidade. Tampouco justifica defender o aborto para os casos de microcefalia como, lamentavelmente, propõem determinados grupos que se organizam para levar a questão ao Supremo Tribunal Federal num total desrespeito ao dom da vida.

Seja garantida, com urgência, a assistência aos atingidos por estas enfermidades, sobretudo às crianças que nascem com microcefalia e suas famílias. A saúde, dom e direito de todos, deve ser assegurada, em primeiro lugar, pelos gestores públicos. A eles cabe implementar políticas que apontem para um sistema de saúde pública com qualidade e universal. Nesse sentido, a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano contribui muito ao trazer à tona a vergonhosa realidade do saneamento básico no Brasil. Sem uma eficaz política nacional de saneamento básico, fica comprometido todo esforço de combate ao aedes aegypti.

O compromisso de cada cidadão também é indispensável na tarefa de erradicar este mal que desafia nossas instituições. O princípio de tudo é a educação e a corresponsabilidade. Por isso, exortamos as lideranças de nossas comunidades eclesiais a organizarem ações e a se somarem às iniciativas que visem colocar fim a esta situação. As ações de competência do poder público sejam exigidas e acompanhadas. Nas celebrações, reuniões e encontros, sejam dadas orientações claras e objetivas que ajudem as pessoas a tomarem consciência da gravidade da situação e da melhor forma de combater as doenças e seu transmissor. Com o esforço de todos, a vitória não nos faltará.

Deus, em sua infinita misericórdia, faça a saúde se difundir sobre a terra (cf. Eclo 38,8). Nossa Senhora Aparecida, mãe e padroeira do Brasil, ajude-nos em nosso evangélico compromisso de promoção e defesa da vida.

Brasília, 4 de fevereiro de 2016

 

Dom Sergio da Rocha

 Arcebispo de Brasília-DF

Presidente da CNBB

 

Dom Murilo S. R. Krieger

           Arcebispo de São Salvador da Bahia- BA

         Vice-presidente da CNBB

 

 Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília-DF

Secretário Geral da CNBB

 

 

 

Paróquia

Nossa Senhora da Conceição

Paróquia

Senhor Bom Jesus dos Remédios